O CDIB vem atuando desde 2001 com foco no cliente, buscando tecnologias de ponta, inovadoras, cada vez mais eficientes e seguras. 

A cada ano, a experiência acumulada e os estudos dedicados a estes objetivos permitem agregar e montar uma composição de técnicas de análises e diagnósticos e um plano terapêutico e preventivo, cada vez mais eficientes, aplicados de acordo com o perfil de cada cliente.

Saúde Integrativa e Qualidade de Vida são conceitos modernos e adequados aos nossos clientes, na busca de saúde mental, física e emocional, desenvolvimento das autocapacidades e favorecimento de alta performance de aprendizado e comunicação.

           Oferecemos metodologia revolucionária de NEURO OTIMIZAÇÃO formada pela combinação personalizada das técnicas inovadoras. Entre elas a Reorganização do Sistema Nervoso Autônomo com uso do  Neurofeedback e Biofeedback com utilização de equipamentos de alta tecnologia. Abordagem Psicopedagógica com uma visão integral do homem. O Programa de Enriquecimento Instrumental (PEI) baseado no trabalho do Prof. Reuven Feuerstein, de Israel. A técnica inovadora de Reabilitação Física, utilizando Biofeedback em Eletromiografia (EMG), com a finalidade de recuperar ou melhorar o desempenho motor.  A moderna Neuro Modulação por emissão de onda rádio elétrica assimétrica, que permite a reestruturação da base biológica onde se assentam os conceitos de saúde e doença. Os medicamentos homeopáticos e técnica de Biopuntura com ultra-baixas doses de medicação injetável anti-homotóxica, que representam substitutos seguros de um grande número de medicamentos convencionais, evitando assim efeitos colaterais e reações indesejáveis.

Importante, ainda, neste conceito de Saúde Integrativa, a atividade física regular e a alimentação saudável e bem orientada, que sinalizam um aumento da possibilidade de sucesso no alcance dos objetivos propostos.

A adesão sistemática aos tratamentos indicados, a confiança em nosso trabalho e o comprometimento dos clientes a estes tratamentos representam o principal pilar de sustentação desta estrutura multidisciplinar, que objetiva premiar nossos clientes com melhor qualidade de vida e maior competência na performance de suas atividades em todas as áreas de atuação.

Reorganização do Sistema Nervoso Autônomo: Tratamento e treinamento para a Saúde e Inteligência

       Nossa atuação incorpora várias técnicas, possui uma avaliação funcional do Sistema Nervoso Autônomo - SNA,  registro das atividades cerebrais, monitoramento fisiológico, intervenção personalizada, metodologia própria, entre outros... Estes recursos permitem ao profissional entender melhor o estado cognitivo e de saúde do cliente. O conhecimento dessa inter-relação direciona os trabalhos dos profissionais  e a escolha  das intervenções mais adequada.

       No CDIB o tratamento é personalizado de acordo com a necessidade e objetivos do cliente. O profissional atua a partir de sua área de conhecimento acrescentando à sua intervenção todas as informações computadorizadas coletadas. Isso faz com que seja possível perceber as mudanças fisiológicas no cliente em tempo real. O que facilita a direcionar os resultados de forma a conseguir os  avanços almejados.

       O tratamento é dividido em fases. Dentre elas, o treinamento do controle fisiológico por meio do monitoramento pessoal computadorizado (Biofeedback). Durante o treinamento é captada a frequência predominante das ondas do cérebro. Depois disso, são gerados os indutores de ondas cerebrais - IOCs para repetição diária dos estímulos em casa. Ao ouvir o IOC, o cérebro do cliente se aproxima do estado cognitivo e de saúde alcançado sob nossa intervenção. Um estado privilegiado! Como se ele estivesse treinando no consultório novamente. O uso do IOC facilita a disciplina do cliente. Esta favorece a disciplina e também é favorecida pela alimentação adequada e pela atividade física frequente. 

 

Princípios básicos para a Saúde e Inteligência 

Sabemos que para nos mantermos bem, temos que ter uma alimentação rica em frutas, legumes, verduras e grãos. Nutrientes como proteínas, vitaminas, sais minerais e ácidos graxos essenciais são fundamentais para a saúde. A atividade física também. São inúmeras as pesquisas que mostram a importância da atividade física para a saúde. Nossa cultura só não enfatiza ainda que a manutenção de atitudes positivas, relacionamentos afetuosos, evitar a raiva e a hostilidade, também são fundamentais para a saúde. Isso já está neurologicamente comprovado. Mas não quer dizer que conseguiremos banir os sentimentos negativos. Não é isso! Mas é altamente recomendável que eles não permaneçam em nós por muito tempo, pois causam estresse crônico que é um dos maiores vilões da vida moderna. 

 

Nossos pensamentos e humores realmente influenciam a saúde física, inclusive os órgãos, o sistema imune, todo o sistema nervoso e as nossas células. Existem conexões diretas cérebro-corpo e corpo-cérebro. O cérebro libera muitas substâncias químicas e impulsos elétricos que podem influenciar a saúde física e, por sua vez, o corpo também libera substâncias químicas e hormônios que influenciam o cérebro. O campo de estudo dessas conexões chama-se psiconeuroimunologia.

 

As manifestações corporais e comportamentos comandados pelas emoções são respostas autonômicas comandadas pelo sistema nervoso autônomo (SNA). As respostas autonômicas de caráter emocional variam com o tipo de emoção e também com o indivíduo, envolvendo o cérebro e praticamente todo o organismo. As emoções também provocam manifestações comportamentais, dentre as quais a expressão facial talvez seja a mais nítida e importante, como sinalizadora das emoções.

 

Pesquisas com fotografias representando faces com crescentes graus de emoções foram mostradas para pessoas e, durante o monitoramento, por meio de ressonância magnética, foi percebido que quanto maior a intensidade da emoção que se via na foto, maior também era a atividade cerebral da pessoa que a olhava.

 

As emoções podem durar muito tempo, seja porque o estímulo que a provoca se mantém ou porque a pessoa apresenta um distúrbio afetivo. Estresse, ansiedade, medo e raiva muito intensos ou prolongados podem causar sérios danos físicos, úlceras gástricas e até a morte, como é o caso do Infarto do Miocárdio ou do Acidente Vascular Cerebral.

 

Em outras palavras, o corpo esquece o padrão anterior saudável e, por causa do tempo de duração das emoções ruins, ele passa a funcionar revivendo-as fisiologicamente. Quando isso acontece, mesmo que o estimulo diminua, a pessoa continua sentindo as emoções na mesma intensidade anterior (por exemplo: tristeza), e já não consegue diminuir seus pensamentos negativos, sensações incômodas, reações de cansaço, desmotivação, falta de energia corporal e desgaste psicológico.

 

Os psicofisiologistas têm usado os indicadores comportamentais e fisiológicos das emoções para estudar a base neurobiológica, sendo que na Universidade Federal do Rio de Janeiro é usado um registro chamado “Resposta Galvânica da Pele” para medir a elevação da condutância elétrica cutânea que ocorre quando aumenta a sudorese, uma reação autonômica das emoções. Com essa medida é possível quantificar o controle de ansiedade, permitindo verificar se a mesma encontra-se em um nível aceitável ou danoso.

 

Assim, devemos exercitar, diariamente, nossa mente com pensamentos positivos de amor, felicidade, gratidão e relaxamento, para que, aliados a uma alimentação saudável e adequada atividade física, possamos conquistar e conservar a saúde que tanto queremos. No entanto, quando o organismo está em desequilíbrio, é possível utilizarmos diversos tipos de tratamentos e treinamentos para voltarmos ao estado de saúde.  

 

Já existem equipamentos que monitoram o organismo e ensinam a controlar o corpo. Assim, aprendemos a equilibrar nosso metabolismo e temos reações orgânicas favoráveis, melhorando nossa performance pessoal e a qualidade de vida. Essa técnica é chamada de Biofeedback. Por exemplo, para termos certeza que estamos fazendo um exercício de Coerência Cardíaca corretamente (comunicação equilibrada entre o coração, o organismo e o cérebro), podemos ser conectados a um aparelho de Biofeedback que dará um sinal auditivo ou visual a cada vez que entramos em coerência. Com a repetição podemos, sozinhos, praticar o equilíbrio corporal provocado pelo estado de Coerência Cardíaca. 

 

Mas a tecnologia vai mais além. Já é possível gravar os estímulos gerados no treinamento, em formato de frequência das ondas geradas no cérebro, e transformá-los em um som, levando-os para casa no intuito de reforçar o aprendizado por meio do condicionamento. Desta forma, iremos aumentar o equilíbrio geral do corpo.

 

Esses sons são chamados de Indutores das Ondas do Cérebro (IOC). São baseados nas frequências de ondas emitidas pelo corpo e controladas durante o exercício de Biofeedback. Os cientistas descobriram que essas frequências podem ser transformadas em sons (conhecido como Batimento Sonoro Biauricular). Ou seja, enquanto você faz o exercício, a tecnologia monitora sua frequência de onda e a copia em formato MP3.  Esses sons especiais, quando ouvidos pelo indivíduo que o gerou, levam o cérebro a encontrar um estado significativamente próximo ao que estava quando foi gerado. 

 

As frequências de ondas do cérebro também podem ativar neurotransmissores cerebrais como a serotonina, que é um mensageiro químico que aumenta o relaxamento, diminui a dor e promove o bem-estar. Ou ainda, as catecolaminas que são vitais para a memória e aprendizagem. Outro neurotransmissor que pode ter sua taxa aumentada com o treinamento específico é a endorfina, que pesquisas mostram estar relacionada com o alívio da dor, a estimulação a mente para continuar uma tarefa, a concentração, a memória e a sensação de bem estar físico e mental. Pesquisadores da Universidade de Houston nos Estados Unidos usaram o controle de ondas do cérebro para tratar dificuldades e desordens de aprendizagem.  

 

O Biofeedback, a Nutrição Funcional, os IOCs, a intervenção personalizada do profissional, as  avaliações computadorizadas permitem analisar a situação do indivíduo e organizar os exercícios que devem ser feitos. Esses exercícios são monitorados por computador e ao final é gerado um IOC. Ao ouvir o indutor, em casa, o cliente entra no estado em que foi treinado na clínica, conseguindo performances melhores do que normalmente conseguiria. Semana após semana os treinamentos continuam até que o corpo elimine padrões orgânicos inadequados e assimile os novos padrões saudáveis e eficientes. 

  

Os IOCs são sons específicos, personalizados, preparados para uma pessoa de acordo com seu funcionamento orgânico atual. Servem para aumentar a performance pessoal, melhorar a qualidade de vida e  aumentar a eficiência de tratamentos, como na depressão, insônia, ansiedade, síndrome do pânico, dificuldade em fazer provas, distúrbios de atenção, dificuldade de aprendizagem e de memória, entre outros.  

 

O melhor de tudo é que o CDIB ofereçe esses serviços inovadores.

 

Por  Maria Tereza Carneiro Pita

Psicopedagoga e diretora do Centro de Desenvolvimento da Inteligência

 

Pesquisas Científicas

 

Recentemente, em algumas empresas, foram desenvolvidas pesquisas com resultados surpreendentes. Em Londres, 6000 executivos de grandes empresas como a Shell, Britsh Petroleum, Unilever, Banco Hong Kong Shangai e HP, além dos executivos da Motorola e do Governo da Califórnia (EUA), fizeram um treinamento de Coerência Cardíaca. Como resultado os participantes declararam terem se beneficiado do ponto de vista físico, emocional e social.

  • Em apenas um mês de treinamento diário, a queda na pressão sanguínea representou um índice igual ao que seria esperado se tivessem perdido 10 kg em um regime, e foi duas vezes maior do que se tivessem feito uma dieta livre de sal.
  • Em um mês de treinamento diário houve uma melhora notável no equilíbrio hormonal. Como por exemplo a porcentagem de DHEA (hormônio da longevidade), em quem tinha valores baixos, chegou a dobrar. A porcentagem de cortisol (hormônio do quintessencial do estresse, associado ao aumento da pressão sanguínea, ao envelhecimento da pele, a perda da memória e do poder de concentração) caiu 23%.
  • As mulheres executivas mostraram excelente melhora nos sintomas pré-menstruais, com menos irritabilidade, depressão e fadiga no trabalho.

 

 

Venha para o CDIB aprender a treinar sua Coerência Cardíaca e melhorar sua qualidade de vida.

Estamos a sua espera!

Tereza Pita - Doctoralia.com.br

Várias apresentações em 2018.

  Em 2018 foram feitas apresentações em SP e Brasília. Os assuntos abordados variaram entre a neurofisiologia da aprendizagem, sua inter-relação com a performance cognitiva humana, e novíssimas tecnologias para ganhos, manutenção e aprimoramento da saúde física e mental.           Foram demonstradas atuações em crianças, adolescentes e adultos,  utilizando técnicas como a Análise computadorizada do Sistema Nervoso Autônomo, Biofeedback, Indução de Ondas do Cérebro, Neuro Otimização e variadas ferramentas neuropsicopedagógicas      inclusive o PEI - um programa para desenvolvimento da Inteligência.                                
      Abrem-se portanto, grandes alternativa para a educação,  neuropsicopedagogia e saúde com a associação de tecnologias que permitem quantificar, estimular e avaliar a evolução do indivíduo no processo de aprendizagem e saúde.                                        

Terapia REAC

Moderna tecnologia de neuromodulação foi o motivo da palestra do Dr. Paulo Roberto Fochesato – Médico  – realizada no dia 25 de outubro de 2017 no anfiteatro da Farmacotécnica no Setor Hospitalar Sul de Brasília.

Abordou o tratamento de quadros degenerativos, distúrbios do equilíbrio, dor crônica e diversas sequelas de lesões, com a utilização desta terapia que é motivo de inúmeros estudos científicos publicados nas maiores revistas médicas internacionais, como a Nature e a Scientific Report.

Salientou a ação rejuvenescedora celular do método, uma vez que facilita a produção e a diferenciação de células-tronco e a produção da Telomerase – enzima associada à longevidade celular.

Tendo se especializado no método na Itália em fevereiro de 2015, local onde foi idealizada esta tecnologia, esteve recentemente de volta à Itália em outubro de 2016, onde foram abordadas novas indicações deste tratamento, especialmente nos aspectos epigenéticos de pacientes com Transtorno do Espectro Autista e da Síndrome de Down e outras patologias correlatas.

Doença de PARKINSON , ALZHEIMER e outras patologias deverão ser motivo de nova palestra proferida pelo Dr. Paulo, ainda com data a ser definida.

Atende em Brasília no CDIB – Centro de Desenvolvimento da Inteligência e Biofeedback, onde aplica as sessões de neuromodulação.

Os contatos podem ser feitos por meio dos telefones (WhatsApp):

(61) 98403.9567 e

(51) 99744.8746.

 

Tereza Pita - Doctoralia.com.br